Começa agora mais um projeto de vida no qual me envolvo como sempre de corpo e alma. O projecto Surf Social Wave nasceu de um almoço com o António Miguel, num momento em que tinha já decidido mudar de paradigma. O desafio era pensar num projeto ligado ao surf e à área de responsabilidade social. Confesso que gostei deste desafio. Uns dias depois estava sentado no meu escritório e comecei a colocar algumas ideias num documento. Li o documento duas ou três vezes e o que escrevi pareceu-me ter muito sentido, mas como outras vezes deixei a ideia no documento, sossegada durante uns dias. Passados talvez quinze dias revisitei o documento e de facto aquilo que tinha escrito tinha sentido. Era sem duvida o desafio que estava à procura e o que me permitiria, do ponto de vista pessoal, responder a um desejo que era o de dar de volta aos outros a felicidade que o Surf me tem trazido nestes quase 30 anos de pratica semanal. Mas era também um projeto inovador e um olhar diferente para o surf e para o que ele nos podia aportar para além do prazer de deslizar na parede de uma onda.

Conversei com mais pessoas e pouco a pouco fomos criando um grupo de pessoas que estavam interessadas e disponíveis e tinham as competências para fazer este projeto acontecer. Começamos as reuniões com potenciais parceiros, com parceiros fundamentais e com as entidades que nos pareceram ser as mais adequadas para percorrerem connosco este caminho. As respostas foram muito positivas. Todos consideraram o projeto algo com valor, estruturado e com muito potencial de sucesso. Nós, eu, ficamos entusiasmados com as respostas e no dia 5 de abril de 2017 constituímos com o apoio fundamental dos nossos parceiros — VDA — uma Associação sem fins lucrativos. Neste dia demos o primeiro passo. Estava sol e vento offshore. Havia umas ondas. E isso só podia ser um bom pressagio.

Deste dia em diante recomeçamos o nosso processo de contacto com os parceiros para formalizar parcerias e conseguir arrancar este projeto em outubro de 2017. Depois de termos um logotipo criado pela Beatriz, fomos a mais reuniões, a Raquel, a Elsa, a Marta e eu e fechamos um acordo com o IEFP, com a Casa Pia de Lisboa e com a Câmara Municipal de Cascais. A Gravity, agência de criatividade aceitou o nosso desafio de criar uma campanha de raiz para TV, Net e Papel. A Patrícia assumiu a ajuda de nos encontrar espaço para colocar a nossa comunicação. Nós trabalhámos e fizemos que o projeto fosse aos poucos ganhando consistência. Não paramos nunca. Demos aulas de surf aos nossos futuros participantes, mostramos o nosso projeto a amigos e colegas, sempre em busca de ir mais longe. Demos o nosso tempo ao nosso sonho, porque é assim que tem de ser. Disponibilizamos o nosso espaço e o que tínhamos à mão. Estávamos a andar.

E no dia 20 de setembro fomos apresentar o nosso projeto a potenciais participantes, adultos. Foi um dia intenso e mágico. Fiz, pessoalmente quatro apresentações a cerca de 200 pessoas, das quais 36 assumiram de imediato o interesse em participar neste projeto.

Dia 21 de setembro colocamos o nosso site no ar www.surfsocialwave.org vão lá pois começa agora um projeto inovador e relevante no Surf em Portugal. Obrigado a todos que acreditam que devemos ser a mudança que queremos ver no mundo.

Boas ondas!!!

António Pedro de Sá Leal was born in 1971 in Lisbon, graduated in Philosophy at Universidade Nova de Lisboa.

António Pedro de Sá Leal was born in 1971 in Lisbon, graduated in Philosophy at Universidade Nova de Lisboa.