Quem me conhece desde de sempre sabe que sempre preferi um jogo de bola na rua a um na televisão. Antes os joelhos esfolados e o orgulho ferido por uma derrota no jogo da rua que uma hora a ler um desportivo.

Aprendi uns anos mais tarde a apreciar um jogo de futebol enquanto adepto, aprendi a ver um jogo de excelente e a admirar algumas jogadas inesquecíveis.

Para mim o futebol não se reduzia à minha equipa e aos outros, para mim assistir a um bom jogo era compensador independentemente do resultado. Hoje em dia já não vejo nem acompanho muito o futebol sobretudo porque em Portugal deixou-se de ver futebol de qualidade e o que se passa à volta acaba por ser mais importante do que o jogo em si. Das últimas vezes que fui à bola, ver a minha equipa, assisti a jogos medíocres de jogadores que ganham e valem milhões, mas não acertam um passe, não fazem um remate como deve de ser, mas são idolatrados como se valessem alguma coisa.

Photo by Angel Martinez/Real Madrid via Getty Images

Esta semana vi um jogador português honrar o futebol.

O Cristiano Ronaldo marcou um golo incrível, único, daqueles que nos fazem gostar de futebol por aquilo que é, um jogo onde os melhores sobressaem e por vezes verdadeiramente mágico.

É isto.

António Pedro de Sá Leal was born in 1971 in Lisbon, graduated in Philosophy at Universidade Nova de Lisboa.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store