Muitas coisas se escrevem sobre o novo presidente dos EUA.

Das questões que não vejo discutidas e que me preocupam, a principal prende-se com o legado do anterior presidente. Efetivamente se o passado recente é tão bom, como é possível que a escolha tenha recaído no atual presidente? A resposta não é simples nem absoluta.

Uma das razões que me parecem mais relevantes e preocupantes passa pelo afastamento atual da classe política dos eleitores. Se durante os últimos anos este afastamento se refletiu num aumento gradual da abstenção, hoje à escala europeia e americana reflete-se na ascensão ao poder de pessoas que estão fora do sistema e, se bem que, poderá acontecer surgir a pessoa certa para o lugar, também pode acontecer o contrário.

Neste momento em França um dos candidatos, político profissional e recusa-se desistir apesar das suspeitas que recaem sobre si. Daqui a uns meses podemos ter a extrema-direita no poder em França, o que invariavelmente vai desequilibrar ainda mais o frágil projeto europeu.

O maior desafio da classe politica na primeira metade do século XXI é aprender a cidadania, algo que desaprenderam nos últimos vinte anos.

António Pedro de Sá Leal was born in 1971 in Lisbon, graduated in Philosophy at Universidade Nova de Lisboa.

António Pedro de Sá Leal was born in 1971 in Lisbon, graduated in Philosophy at Universidade Nova de Lisboa.